Facebook lança plataforma de videoconferência

 

 

O Facebook anunciou o lançamento da ferramenta Messenger Rooms, que permite reuniões por videoconferência sem tempo limitado e com até 50  participantes. A plataforma será liberada nas próximas semanas gradualmente em todo o mundo. 

 

O aplicativo surge após o crescimento dos serviços de videochamada ― com o surto do coronavírus, diversas empresas passaram a adotar o home office e a fazer reuniões online. O Zoom, por exemplo, além de ganhar novos usuários, viu suas ações se valorizarem.

 

Segundo o Facebook, a iniciativa surgiu devido à alta demanda por vídeo em tempo real. “Entre o WhatsApp e o Messenger, mais de 700 milhões de contas participam de chamadas todos os dias. Em muitos países, as chamadas de vídeo no Messenger e no WhatsApp mais que dobraram, e as visualizações dos vídeos do Facebook Live e Instagram Live aumentaram significativamente em março”, diz o comunicado.  

 

O Messenger Rooms poderá ser acessado por meio do aplicativo Messenger ou da rede social Facebook. Em breve, será adicionado aos aplicativos do Instagram e do WhatsApp. A sala virtual será equipada com efeitos de realidade aumentada. 

 

O próximo objetivo será expandir o número de participantes de uma chamada de vídeo em grupo no WhatsApp. Hoje, a ferramenta comporta até quatro participantes. Mas, com a integração do Messenger Rooms, em breve, o número será de até oito pessoas. “Como antes, essas chamadas serão protegidas com criptografia de ponta a ponta, para que ninguém mais possa ver ou ouvir sua conversa privada, nem mesmo o WhatsApp”, afirma o comunicado. 

 

Na rede social Facebook, será possível convidar uma pessoa para participar do vídeo ao vivo. “Estamos trazendo de volta o Live With para que você possa adicionar outra pessoa ao seu vídeo ao vivo, não importa onde ela esteja no mundo”, diz o comunicado. A ferramenta vai permitir o uso de um botão para arrecadar dinheiro para doações. 

 

No Instagram, os usuários poderão assistir e comentar vídeos ao vivo na área de trabalho do computador. O vídeo das Lives também ficará disponível no IGTV, para que as pessoas possam assistir após as 24 horas disponíveis nos Stories. 

 

Fonte: Época Negócios

Deixe seu comentário